Viva a Vida !

Este blog destina-se aos meus amigos e conhecidos assim como aos visitantes que nele queiram colaborar..... «Olá, Diga Bom Dia com Alegria, Boa Tarde, sem Alarde, Boa Noite, sem Açoite ! E Viva a Vida, com Humor / Amor, Alegria e Fantasia» ! Ah ! E não esquecer alguns trocos para os gastos (Victor Nogueira) ..... «Nada do que é humano me é estranho» (Terêncio)....«Aprender, Aprender Sempre !» (Lenine)

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Convívio de Outono (15)

Belisa disse...
.
.
AS VINDIMAS
.
O Outono já chegou
Lá p´ras bandas do Cartaxo
E com ele o sol mudou
Está mais bonito eu acho!
.
Se não estou enganada
Cartaxo terra do vinho
É só beber uma canecada
E alegrar o zé povinho
.
É a altura das vindimas
E é com grande aflição
Que se apanham as uvas
Comendo...um naco de pão!
.
Mas que grande trapalhada
Eu estou aqui a fazer
Mais valia não fazer nada
Que escrever isto p´ra ler!

Convívio de Outono (14)


Belisa disse...
.
.
Gosto muito desta época do ano!
E pensar, na palavra...reflexão
Posso,então dizer...que amo
O Outono...e sentar-me no chão!
.
No chão coberto de folhas aos molhos
Folhas belas, que por demais adoro!
Cores lindas de castanhos e amarelos
Sendo as cores da casa onde moro!
.
Como delícia para os meus olhos
São as longas passadeiras de folhas
Espalhadas pelos caminhos sinuosos
.
Dá-me vontade de correr e apanhá-las
De guardar, e perguntar como estão elas
Não quero que sofram sendo tão belas!

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Clique na gravura !


.
.
.
E aqui, in .... STAL

Terá de ser mesmo assim !? ...




****
.
.
No primeiro diploma,
Congelaram as progressões,
Acabaram os escalões,
E não dizemos nada.
.
No segundo diploma,
Aumentam o tempo das reformas,
Mexem com todas as normas,
E não dizemos nada.
.
No terceiro diploma,
Alteram o sistema de saúde,
um controlo amiúde,
E não dizemos nada.
.
No quarto diploma,
Criam-se informações,
Geram-se várias divisões,
E não dizemos nada.
.
No quinto diploma,
Passa a haver segredo,
As pessoas vivem com medo,
E não dizemos nada.
.
Até que um dia,
O emprego já não é nosso,
Tiram-nos a carne fica o osso,
E já não podemos dizer nada.
.
Porque a luta não foi travada,
A revolta foi dominada,
E a garganta está amordaçada.
.
.
De: Um funcionário público criativo, mas amordaçado
recebido do Luís L.

Convívio de Outono (13)


a.filoxera disse...
.
.
Chegados ao fim,
Olho para trás.
Constato que há muito
Já lá não estás.
.
Chegados ao fim,
Vejo tão distante
A partilha inerente
A cada instante.
.
Chegados ao fim,
É hora de adeus
A tantos projectos,
A sonhos só meus.
.
Chegados ao fim,
Ousas explodir
O que no afecto
Não sabes exprimir.

Convívio de Outono (12)


Tiago' disse ...
.
.
Rei do Outono
.
Vou caminhando pelos campos,
Perante uma ovação florestal,
Que estende sobre mim tapetes coloridos
De folhas que caíram para me adorar!
.
Cada passo que dou, cada folha que cai,
Uma festa de folhas e de vento!
Uma conjugação de som, luz e interacção,
Que me faz sentir que valo por um cento.
.
Sou especial, sou o Rei do Outono,
Sem nada fazer, sou venerado!
Sou o ídolo das cores, sou o ídolo das flores!
E ganho asas... passo a ser um Rei alado...
[E voo por entre as folhas, minhas servas]
.
Piso as folhas e sinto-me poderoso,
Sinto-me forte e magnificente.
Sinto-me rei, forte e indestrutível!
E mais não consigo explicar sobre como é que uma pessoa se sente...
.
Mas a superioridade acabou por me consumar.
E o vento, por isso, parou de uivar.

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Um coração para todas as estações do ano :-)

O CORAÇÃO...




( clicar na foto )


Quero que este coração
transborde de Amor!
Voe para qualquer nação...
Possa aliviar qualquer dor!

Não sei como chamar !


* Victor Nogueira
.
Pois é ! Não sei como chamar a este post. Não ponho em dúvida que muitos dos que estão no «anel da amizade» criado pela Belisa e que consta deste «Ao Sabor do Olhar» sejam de facto meus amigos/as, embora virtuais, pois dalguns/mas nem o vero nome tenho e possa estar ao pé deles/as sem nos reconhecermos. E só de três, a conta que Deus fez, conheço a voz.
.
Mas embora virtuais, cada um/a tem pelo menos um blog e já começam a ser tantos para além das minhas seis «chagas», actualizadas diariamente nos intervalos do tempo e pela noite fora, que nem sempre os posso visitar deixando ao menos um «alô»!
.
Mas o tempo não espera por nós, os dias sucedem-se às noites e o sol e lua, escondidos ou não, vão-se alternado dia a noite. E depois, talvez isso explique as poucas visitas aos meus blogs, especialmente aos mais «pessoais», que raramente falam do meu quotidiano deste fugaz presente. Ou então são demasiado sérios, por vezes, e o tempo cada vez mais fugaz não está para tristezas.
.
Uma das razões é que o quotidiano, embora me dê para as piadas e para o humor de viva voz no dia a dia, qualquer que seja a minha «desgraça», não tem graça se passado a escrito. E depois porque não me apetece escrever. Daí que o meu Kant_O se tenha desdobrado em cinco fiilhotes e se transformado em repositório de notícias, que por vezes comento, com mais interesse para sociólogos ou politólogos.
.
E pronto, está explicada a minha ausência. Mas estejam â vontade, tenho sempre muito gosto nas vossas visitas, nos vossos comentários e na vossa amizade, estima ou simples presença.
.
Um abraço para todos e todas do
.
Victor Manuel

Convívio de Outono (11)


Amigo Victor Nogueira.
Temos um Outono febril
A pedir uma Primavera
Como aquela em Abril
.
Meu amigo em anexo vai o meu contributo para o 'convívio de Outono'
.
Com um abraço de Abril sempre!

.
José Manangão
Poesia no Popular

.


“O Outono”
.
Outono suave e macio
Pouco quente pouco frio
Cheiro de terra molhada
Veste de castanho e amarelo
Por vezes feio…Outras belo
Tempo da castanha assada
.
Outono de São Martinho
Frutos secos e bom vinho
Cores pálidas e avermelhadas
Que dão vida aos amores
Inspiram os trovadores
Os fados e guitarradas
.
Outono suave e maduro
Alterna o claro com o escuro
Como os pintores nas paletas
Folhas caídas…Orvalhadas
E as árvores desnudadas
São inspiração para os poetas
.
josémanangão

Convívio de Outono (10)


Gigi disse...

.
A conselho de uma amiga (Dona Redonda ), aqui vai então a minha participação:
.
OUTONO
.
Porque hoje está um daqueles dias de chuva pegajosos, em que as moscas ficam moles e chatas como o caraças porque entram todas para dentro da minha cozinha para fugir à chuva e eu tenho que andar a ver se as "apanho", por causa de tudo isto, sim porque isto das moscas são acontecimentos interessantíssimos e muito raros porque não acontece a mais ninguém nem em mais nenhuma parte do mundo e são também extremamente úteis para tu que estás a ler ficares mais informado(a) de como eu me estou a sentir com a chegada do Outono, por causa de tudo isto, lembrei-me que o ano passado escrevi algo acerca do Outono:
.
Outono
.
O Outono podia muito bem ter ficado onde esteve até agora, mas eu tenho a mania de encarar tudo pelo lado positivo. E como tal, existem

- O cheiro húmido e fresco da manhã
- O arrepio ao vestir um casaco
- Sentir esse arrepio porque estou a aquecer e não pelo contrário
- Poder pôr as mãos em cima do volante quando deixo o carro ao sol
- Os abraços serem mais longos
- Ter menos borbulhas
- Passear a pé e o sol não me queimar a pele
- Ver as montras cheiinhas de coisas fofinhas e quentinhas
- O cafézinho saber-me tão bem...
- As folhas das árvores terem mudado de tonalidade, o que significa que ainda que eu ande pelos mesmos sítios, a paisagem está diferente.
.
Eu sei que o Outono começou há uma semana, mas... ainda vai muito bem a tempo.
.
Eh pá... prontus... o que eu escrevi o ano passado não é que este ano discorde mas prontus... não me apetece nada que venha aí o Outono... não me apetece mesmo nada... :'-( O ano passado escrevi aquilo tão bem disposta e tal, a pensar nas grandes, enormíssimas mesmo, vantagens do Outono e hoje, que aquele texto, que é criação minha, deveria servir para me animar... não consigo! Está um dia de caca porque a chuva não pára, lá fora está frio e aqui em casa está calor eu eu estou aborrecida. Queria estar ao sol dentro de uma piscina ou estar na praia a assistir ao pôr-do-sol. Pode ser que amanhã esteja um dia soalheiro, quem sabe?

domingo, 28 de outubro de 2007

Convívio de Outono (9)


.
Há pouco tempo, aquando da entrada do Outono, um Amigo virtual (Alexandre Castro Alves, do Blog " viverumconto"), postou uma belíssima fotografia, como são sempre as suas, com um conjunto de Abóboras, abundantes nesta época do ano; por causa disso, imediatamente me chegou a "veia" e escrevi o poemeto que aqui te envio.
.
.
ABÓBORAS
.
No falar da Minha Gente "Abóbras")
.
.
Abóbra-botefa
abóbra-menina
mas que triste a sina
que tens ao nascer
por linda que sejas
e de belas cores
acabas em dores
porque é de comer...
és abóra-chila
e "tamém" bolina
rosada menina
gordinha, redonda;
E que bela prá sopa
e que bem que faz!!!
inté é capaz
de ser doce de prato!
dai-me um guardanapo
que me cai em fio
a baba "d'ougada"...
compota "lebada"
que gula me dás!...
.
.
Maria Mamede

Convívio de Outono (8)


Kalinka disse..
.
.
A Real Regata das Canoas 2007
.
Na minha teimosia de fazer um 3º post sobre a letra F, faço destaque a um evento – A Real Regata das Canoas 2007, que decorre hoje - dia 5 de Outubro, entre a Moita e Belém, é um evento organizado pelo Centro Náutico Moitense e a Associação Náutica Sarilhense, com o apoio da Associação Náutica do Seixal, da Associação Náutica da Marina do Parque das Nações e das Câmaras Municipais das regiões ribeirinhas do rio Tejo. Juntos voltam a dar vida a uma tradição perdida, quando os reis ordenavam a celebração de uma regata anual em homenagem aos fragateiros.
.
Existem 42 embarcações tradicionais inscritas que, irão soltar velas ao vento e disputar o título entre a praia do Rosário, no Concelho da Moita, e o Padrão dos Descobrimentos, em Lisboa. Existem alguns varinos e fragatas municipais disponíveis para embarcar aqueles que queiram assistir à Regata bem de perto. Os privilegiados soltaram amarras às 11:00 de dia 5, na porta Tejo do Parque das Nações. Mas ainda restam muitas opções para apreciar este belo evento ao ar livre.
.
Em terra, pode assistir à saída ao ferro da Praia do Rosário, no Gaio-Rosário (concelho da Moita), às 13:00, e à chegada à meta, no Padrão dos Descobrimentos, a partir das 14:30, a que se seguirá um espectacular desfile das embarcações. Fora de pé há sempre a possibilidade de seguir em barco próprio ou apanhar boleia de um dos muitos barcos na Associação Náutica da Marina do Parque das Nações, bem como de embarcar num cacilheiro Belém-Cacilhas-Belém.

sábado, 27 de outubro de 2007

Convívio de Outono (7)


Meu país amado...
.
.


Meu país lavado
P´las águas de Outono
P´las lágrimas
De dor
Mas também de riso
Meu país dourado
De areias
Vinhedos
E arvoredos
Meu país parado
À beira de mágoas
À beira de águas
Meu país esquecido
Mas também lembrado
Meu país amado!

.

Rosa dos Ventos


Convívio de Outono (6)


Verde sobre céu de outono

.

autoria de Rosa dos Ventos

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Convívio de Outono (5)


Paulo Sempre disse...
.
.
Ao sabor do olhar
vislumbram-se quotidianos
planicieis triste a bradar
amargos passares dos anos.
.
Do silêncio faço um grito
que mergulha em ecos sem fim
por momentos sei que não minto
em lamaçais de anologias de mim
.
Que sou eu neste mundo? o mal fadado,
O que quer tocar já o caixão,
O dessassossego, o Céu, a maldição,
E que, no seu abraço, só encontro fado!
.
Paulo Sempre

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Convívio de Outono (4)


.
.
JÁ O OUTONO SE INSINUA
.
(do Manel à sua amada)
.
.
Já o Outono se insinua;
já o Outubro prazenteiro
vem chegando no fagueiro
raio de sol que a manhã
nos dá às horas primeiras...
já o Outono se insinua
nas fadigas derradeiras
do milho a secar nas eiras;
e se secá-lo afadiga
pró guardar antes da chuva
que bom é dançar de roda
na hora quase viúva
da eira grande vazia...
e que enorme alegria
no gemer da concertina...
- À roda, à roda menina
à roda ó baile mandado!-
Já está o milho esfolhado
e o vinho do lagar
já se bebe de tão doce;
ai quem dera que assim fosse
a tua boca Maria;
tanto, mas tanto a bebia
era até ficar de rastros
até meus olhos ser astros
pelo sol que m'alumia!!!
.

Maria Mamede

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Convívio de Outono - Extra


* Gilberto de Oliveira
(n. 1915 - m. ----)
.
(...)
.
Salve! indomável Exército Vermelho
glória dos trabalhadores
unidos em todo o mundo
no combate contra o mal,
que altivamente, sem ódio,
mas sem quartel,
cavaste um fosso profundo
entre o passado e o futuro.
Fosso rasgado com aço ...
... aço temperado no fogo da luta!
Aço que fere e mata ...
Aço que cria ...
... que cria as flores vivas
de uma nova Primavera ...
... a Primavera das flores da Vida!
.
Campo de Concentração do Tarrafal
Novembro de 1944 ( 1)
.
__________
1 - Poema dedicado ao Exército Vermelho, no aniversário da Revolução Russa, em Novembro de 1944, poema que depois foi lido, quase declamado, pelo Alberto de Araújo, durante uma festa que então realizámos. Nesse poema era glorificado o Exército Vermelho e sobretudo a resistência organizada e espontânea do povo soviético á penetração territorial das hordas fascistas. Dele, que se me varreu da memória quase por completo, só consigo recordar com muito pouca segurança o passo final, aqui transcrito.

Convívio de Outono (3)


Belisa disse...
.
.
Muitas flores eu quero dar!
Com o Outono a chegar...
Para assim poder alegrar!
E os dias aclarar...
.
Já recebeste a minha flor?
Foi enviada por post...
Espero que você goste!
.
.
Belliiiiiiiiiiiiiisaaaaaaaaaa Uma quadra terceto? (VN)

terça-feira, 23 de outubro de 2007

Convívio de Outono (2)


david santos disse...
.
.
Ó Outono outunal,
de velhinho mais não digo;
sou filho de Portugal,
não será isto castigo?
.
Velhinho e sempre sem férias,
Outono linda estação;
diz-me a verdade sem lérias
será isto uma Nação?

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Convívio de Outono - Nota


Isto é que foi uma enchente: 26 contribuições: poesia, prosa, desenho, fotografia, reportagem ... Só ficou mesmo faltando uma pecinha de teatro. Bem sei que os Portugueses são um pouco descuidados com as horas e com o calendário, pelo que se alguém estiver atrasado pode mandar.
Agora fique esperando, pois vão sendo publicados por ordem de chegada. Enquanto não chega a sua, vá vendo as contribuições dos outros e torcendo: «Quando verei a minha?»
Pois é assim como um romance policial, só que não há criminoso, não !

Abraço a todos

Victor Nogueira

Convívio de Outono (1)


Sendo Outubro O MÊS pertencente à Estação em causa, achei que poderia estar presente neste convívio; então aqui vai!
.
OUTUBRO
.
(A Che Guevara)
.
.
Em Outubro se nasce e se morre
na senda da palavra Liberdade
em Outubro e em qualquer idade
não importa o mês, só que se morre
.
e era Outubro, era a hora certa
da sede de sangue, de vingança
de acabar um sonho 'inda criança;
era Outubro e era hora certa...
.
e foi de morte o mês: Outubro dor
e foi de dor o mês; Outubro morte
e foi Outubro o tempo derradeiro...
.
dando ao mundo a vida e o amor
Outubro selando a sua sorte
fez eterno o sonho guerrilheiro!...
.
.

Maria Mamede

Últimas Publicações (1)


Convívio das Quadras - Resumo Geral, incluindo EXTRAS
Convívio das Quadras - posts colocados
Convívio de Outono - Regras
António Aleixo - Quadras
Eureka !!! - efeneto
Macau e Açores - Joaquim Pinto
ANEL da AMIZADE - Belisa
Tudo bem ? - Cartoon
Convívio de Outono - Regras e Convite
A Manadeira - José Torres
Blogs especiais que encontrei deambulando pelo ciberespaço - VN
D'a Filha do Administrador
Lágrimas - Maria Emília N S
Os canitos ladram mas a Caravana passa ! - VN
J.J. Castro Ferreira (3) - Fotos de Família - J J Castro Ferreira
2 Poemas de Gilberto de Oliveira, que foi meu amigo - Gilberto de Oliveira
Hoje o dia nasceu - Kalinka
Venho de mansinho - Kalinka
Eterno - Víctor González Solano
Vi-te - A. R.
Escrito a Quente - a.filoxera / VN
Da Travessa do Ferreira ... - Antunes Ferreira
Poemas do meu Bisavô (2) - J. J. Castro
Ainda a Poesia... - Maria Mamede
«Convívio das Quadras» - Regras e Convite
A Modinha das Quadras - Belisa
O Mistério das Quadras - Belisa
Sequência de Quadras - Belisa / Maria Mamede / Rosa dos Ventos
Dia de Bocage - Feriado Municipal de Setúbal - J. J. Castro
Festa do Avante 2007 - Edição Especial do Avante
Quadras ao desafio? - Belisa / Maria Mamede / Rosa dos Ventos
Quadra - Belisa / Maria Mamede
Quadras - F. G.
J.J. Castro Ferreira (2) - J J Castro Ferreira
A visita da Filha do Administrador - Filha do Administrador / VN
AS MELHORES COISAS DA VIDA - Os Amigos - Belisa
Maria Mamede - Ainda a Poesia... - Maria Mamede
O cão Bobi - Gilberto de Oliveira
Vieira Calado - Os poemas da «Caneta de Ouro» - Vieira Calado
ODE AO FERRO * Vieira Calado Eh ferro, eh ferro,... - Vieira Calado
HÁ SEMPRE UMA PALAVRA DENTRO DA PALAVRA ** Vieira Calado
Festa do Avante 2007 - 1ª capa da edição do Avante anunciando a sua abertura
Terras por J.J. Castro Ferreira (1) - J J Castro Ferreira
Alentejo (1) por João Aguiar - João Aguiar
CHAMEI-TE NOME DE RUA - Maria Mamede
Rui Pedro - Desenho Infantil - Rui Gato
Retrato vivo de um cadáver adiado - Adventino Amaro
SOMBRA DA GUERRA COLONIAL - Antunes Ferreira
Veramente Vero - VN
HÁ UMA ESTAÇÃO NA MINHA CIDADE - Maria Mamede
No campo da morte lenta - TARRAFAL - - Gilberto de Oliveira
A MINHA CIDADE - Maria Mamede
A unidade entre socialismo e movimento operário. U... - João Aguiar
SOMBRA DA GUERRA COLONIAL - Antunes Ferreira
O LEGADO DAS PALAVRAS - Maria Mamede
ainda sobre o Rimance da Biblioteca Municipal - Antunes Ferreira
Ao Sabor do Olhar -Pedro Branco / VN
D'O Cantinho da Zé - Zé / VN
SE AO MENOS EU NÃO VISSE ! - David Santos
Marteladas Sinistras - Gilberto de Oliveira
TOMAR e CONVENTO DE CRISTO
No Leito da Vida: Uma tragédia em dois actos - Rui Gato
D’ O Cantinho da Zé … - Zé/ VN
Grades e copos - Antunes Ferreira
AO SABOR DO OLHAR - Pedro Branco
O Ratinho e o seu desejo - Susana Silva
AÍ VEM A AURORA - Maria Mamede
Gaivotas - Foto M. Castro
Luanda no agoramente - VN
Quem espera sempre alcança e nem sempre a curiosidade mata - VN
Que dia é hoje? - VN
Triimmm! Triiiiiimmmm ! - VN
Seja bem-vindo quem vier por bem - VN
.
.

Convívio das Quadras - Resumo, incluindo EXTRAS



.
identificação dos Participantes em -> Últimas Publicações (1)

Convívio das Quadras - Extra (6)



domingo, 21 de outubro de 2007

Convívio das Quadras - Extra (5)


* Rui Pedro Gato
.
.
.

o amor é meu.
fui eu que o inventei
num olhar
fui eu que o visionei
.
numa palavra
num gesto
o amor é teu
fui eu que te o dei.
.
.
.
.

A vida é fugaz
Voa como sabes
Voa que és capaz
A vida é este momento
.
De tudo o que acreditas
De tudo o que te faz
Voa rapariga
Que a vida foi lá atrás.
.
.
.
.
Esta folha branca se transforma
Palavras tomam forma
Sentimentos aparecem
Na mente de quem lê.
.
Esta mente ganha vida
Palavras aparecem
Sentimentos tomam forma
Na mente de quem lê .
.
E numa palavra me apercebo
De um sentimento que concebo
Por ti
.
Numa palavra me arrependo
Num fim em que me rendo
Por ti
.
.

Rui Pedro - 2004

sábado, 20 de outubro de 2007

Convívio das Quadras - Extra (4)


* Maria Emília C B N S
.
.
A minha aspiração: ser marinheiro
.
.
Ser marinheiro arrojado,
ter o domínio do mar
desvendar os teus mistérios
nessas noites de luar
.
Ter.te submisso a meus pés
Oh! mar ! Belo mas medonho
onde tudo é maravilha
eu idealizo num sonho
.
.
Publicado no Jornal de Notícias - 5ª feira da Mulher (Porto) s/d
ilustração - Pedrosa Souza

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Convívio das Quadras - Extra (3)

* J.J. Castro
.
No album de “Sinhá”
.
.
A gota d’orvalho
Engastada na flor,
Exprime amizade,
Constância e amor.
.
Pousado na rosa
Gentil beija-flor,
Seus ledos trinados
Exprimem amor.
.
No rosto cândido
De meiga beldade,
Seu doce sorriso
Exprime amizade.
.
O cravo vermelho
Com sua fragrância
Em teu peito “Sinhá”
Exprime a constância.
.
A graça da rosa
A mais gentil flor,
Exprime amizade,
Constância e amor!
.
Óbidos 1890
.
Do manuscrito de poemas do meu bisavô

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Convívio das Quadras - Extra (2)




* Gilberto de Oliveira (1)





Não vejo aquilo que olho
Porque uma sombra o encerra
Se um alfarrábio desfolho
Nada diz mas muito berra.
.
Cego, por certo, não estou
Vendo luz à minha volta
Daqui para ali pois que vou
Sentindo o diabo à solta.
.
Devo ter a visão vesga
Pois que grande esforço faço
Para ver só uma nesga
No brilho dum grande espaço.
.
Nada é pior do que ter
Uma visão desfocada
Nunca se fica a saber
De onde vem a pancada.


ilustração - Pedro de Souza
______

(1) Escrito depois de cegar (n. 1915 - m. ----)

terça-feira, 16 de outubro de 2007

Convívio das Quadras - Extra (1)


* Joaquim António Barroso
.
Cantares
.
.
A saudade é a lembrança
De algum beijo já sentido
E agora sem esperança
De tornar a ser vivido.
.
Quando um dia me casar
Quero que a lua de mel
Seja em noites de luar
Entre flores num vergel.
.
Gosto de todas as flores
Mas das rosas nem falar ...
Rosas falam-me de amores
E de idílios ao luar.
.
Vinde avesinhas do céu
Vossos trinados soltar:
Ninguém tão triste como eu
No mundo vive a cantar.
.
Adeus, adeus, vou-me embora
Ninguém tem pena de mim ...
Mas tu sim, ó lua chora
Chora meu pranto sem fim.
.
Dorme, dorme meu filhinho,
Enquanto eu velo a cantar;
Dorme, dorme, meu anjinho,
Ao som do meu suspirar.
.
.
Irmão da minha mãe, que não conheci senão das lembranças dela, que morreu tuberculoso aos 21 anos (1915-1936)
.
Ilustração - Pedro Souza

Convívio das Quadras - posts colocados e «quadristas»


Convívio das Quadras (18) - Belisa / Luna / Maria Mamede
Convívio das Quadras (17) - Belisa / Rosa dos Ventos
Convívio das Quadras (16) - Belisa / Rosa dos Ventos
Convívio das Quadras (15) - Belisa / Maria Mamede / Rosa dos Ventos
Convívio das Quadras (14) - Belisa / Rosa dos Ventos
.
.
Bónus - António Aleixo - Quadras
.
Convívio das Quadras (13) - Belisa
Convívio das Quadras (12) - Belisa / Estrela Cadente
.
.
Bónus - Eureka !!! - Surpresa
.
O Convívio das Quadras (11) - Belisa / Maria Mamede / Rosa dos Ventos
Convívio das Quadras (10) - Paulo Sempre
Convívio das Quadras (9) - Antunes Ferreira
Convívio das Quadras (8) - Belisa / Maria Mamede
Convívio das Quadras (7) - José Manganão
Convívio das Quadras (6) - Maria Mamede
Convívio das Quadras (5) - Belisa
.
.
Bónus - Tudo bem ? - Cartoon
«Convívio das Quadras» - Regras e Convite
.
.
Os antecedentes
.
ver a relação dos participantes em Últimas Publicações (1)

Convívio das Quadras (18)

TENHO ESTADO A PENSAR EM TI...

* Belisa




Tenho estado a pensar em ti
Não sei bem o que dizer-te...
Tu já és meu amigo
Isso não posso esconder-te!

Hoje apetece-me brincar
Vou fazer um jogo...
Queres agora participar
Ou fica pra mais logo?

Vamos lá começar então
O jogo do faz de conta
Achas que sou comilão?
Ou fico só a olhar a montra!

Estou para aqui e escrever
Coisas sem eira nem beira
Valia mais estar a ler
Do que estar a fazer asneira...

Mas enfim....já está!
E acho que me diverti
Não vou apagar....Ora esta!
Porque escrevi a pensar em TI!
Domingo, 23 de Setembro de 2007 Belisa
.
9/23/2007 luna multiolhares disse...

quando escrevemos
saindo do coração
nada deve ser apagado
pois é escrito com emoção
.
9/25/2007 Maria Mamede De Amor e de Terra disse...
.
Ao falarmos de Amizade
Ao falarmos de Amor
Há um sentir que invade
Nosso peito e afasta a dor!...
.

Convívio das Quadras (17)

PARA TODOS OS MEUS AMIGOS...

* Belisa

Aqui vos deixo este jardim
para virem ver e apanhar
Uma flor dada por mim
e para vossa casa levar!

São lilázes e amarelas
as flores que aqui vai encontrar
São todas muito belas
escolha aquela que desejar!

Se o jardim estiver a ficar vazio
Não se acanhe pode levar
Mesmo com o tempo a ficar frio
Irei mais flores semear!

Um lindo girassol
Que está no canto a espreitar
Ao amigo VITOR MANUEL vou dar
Se ele o quiser aceitar!
.
.
Quinta-feira, 4 de Outubro de 2007 Belisa
.
.
10/04/2007 Rosa dos Ventos disse...
.
,
Com as quadras da Belisa
Eu não posso ombrear
Já pensei ir a Ibiza
Para inspiração encontrar!

Convívio das Quadras (16)

QUERO GRITAR.... ÁFRICA!

* Belisa


Quero gritar agora
Para bem longe se ouvir!
Não vou deixar passar a hora
Não vou deixar-me dormir!

Quero mais liberdade
Para feliz me sentir!
Quero mais verdade
Para melhor reflectir!

Quero a minha Terra!
Quero o meu Amor!
Quero subir a Serra!
E ver o seu esplendor!


Sábado, 29 de Setembro de 2007 Belisa

10/02/2007 Rosa dos Ventos disse...


África não posso gritar

Por nunca lá ter estado

Mas compreendo o teu chorar,

Cada um tem o seu Fado...

Convívio das Quadras (15)

O OUTONO...
* Belisa


As primeiras chuvas estão a chegar
e com elas a trovoada...
Vou por hoje encerrar
Não me apetece fazer mais nada!

Convívio das Quadras (14)

* Belisa



Quero voar bem alto...
Até onde eu conseguir!
Para poder dar o salto...
Ficar de pé e não cair!

É este o meu desejo...
Pelo qual quero lutar!
Não sei se bem o vejo...
Se é possível continuar!

.

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Convívio de Outono


.
Terminado o «Convívio das Quadras» no Ao Sabor do Olhar , (….) convido os meus amigos e amigas, conhecidos ou conhecidas, visitantes ou eventuais interessados/as a participarem em novo convívio, cujo tema é o Outono .
.
Desta feita, para além do material ser do próprio, o conteúdo e a forma de expressão são livres (prosa, poesia, fotografia ou outra forma de expressão em imagem)
.
O prazo para recepção dos materiais termina em 20 de Outubro, devendo fazer-se referência que se destina ao Convívio de Outono.
.
NOTA - Agradeço que enviem a eventual produção por correio electrónico e que a não coloquem nos «Comentários»
.
A todos e todas um abraço
.
Victor Nogueira

domingo, 14 de outubro de 2007

António Aleixo


.
.

A quadra tem pouco espaço
Mas eu fico satisfeito
Quando numa quadra faço
Alguma coisa com jeito.
.
.

.
.

Gravura - Tóssan (1943)
.
.

Clique na Hiperligação com o nome do poeta, para saber mais !

Convívio das Quadras (13)


Belisa disse...
.
olá, Boa noite :)
.
.
este Sabor do Olhar
está deveras divertido!
tantas quadras no ar
e todas a seu pedido!
.
.
E com esta encerrou-se a recepção de QUADRAS para este Convivio. Agora é para publicar o material em «carteira» Entretanto, para se distraírem ou buscarem inspiração para o Convívio de Outono, visitem .... Estrelas Inspiradoras ****

Convívio das Quadras (12)



Belisa disse ...
.
.
Voltei...voltei..
Não, não é nenhuma canção
Lembrei-me disto e...
não vou dizer-te que não...
.
Fico encantada a ler
estes textos que escreves
São recordações a reler
espero que não sejam...breves
.
.
.
.

Belisa disse ...
.
.

Sobre o poeta Bocage
pouco ou nada sei
Fiquei mais elucidada
e agora investigarei...
.
.
.
.

Rosa dos Ventos disse...
.
.
Já não sei o que fazer
Já não sei por onde andar
Só sei apenas dizer
Que gosto de "Ao Sabor do Olhar".
.
.

Rosa dos Ventos disse...
.
.
Pensava eu estar terminada
A época de quadras mandar
Afinal estava enganada
Isto é sempre a aviar!
.
.
.
.
A Dulce(ineia) do mote
Que de carmim se vestia
Inspirou o rapazote
Num passeio de alegria!...
.
.
.
.
.
.

Cada vida um alfabeto
a sonhar felicidade
mas é o sonho inquieto
se o caminho é liberdade!...
.
.

sábado, 13 de outubro de 2007

Eureka !!!





Finalmente!
Depois de longo tempo "navegando" por milhares e milhares de paginas da Internet,
perdendo noites de sono incontaveis, finalmente
ENCONTREI...
Eu sabia que mais cedo ou mais tarde eu encontraria este site...!!!

.
http://homepage.oninet.pt/684mcn/final

.

.

Colocado por efeneto em Diário do Nétinho...

Macau e Açores


Enviadas por Joaquim Pinto, a quem agradeço, para vossa fruição:



O Convívio das Quadras (12)



Belisa disse...
.
Olá :)
.
Aqui arranjei um trabalhito...
.
O trabalho é uma moda
que só a alguns se destina
uns andam sempre na roda.
e outros quietos na esquina!
.
Esta moda é pra dançar
agora e sempre igual
só que alguns só vão cantar
e dançar pro carnaval!
.
.

Estrela Cadente disse...
.
Não posso colaborar!...
Não tenho queda para rimar!...
Mas podem continuar
Porque eu estou a gostar.

sexta-feira, 12 de outubro de 2007

ANEL da AMIZADE






que agradeço à belisa da Estrela no Mar
.
Para além da Belisa, não posso deixar de referir a estima ou amizade dos editores do seguintes blogs, citados alfabeticamente:
.

Arestas ao Vento
Baobab
O Cantinho da Zé
Casa de Maio
Das palavras que nos unem
De Amor e de Terra
Dona Redonda
Escrito a Quente
Este Blog Chama-se Assim
Filha do Administrador
Kalinka
Momentos & Documentos
Namibiano Ferreira
Paixões e Encantos
poesianopopular
Querubim Peregrino
Rosa dos Ventos
SÓ VERDADES
Tiago'
Travessa do Ferreira
Vale a Pena Lutar
As vinhas da Ira

E não se esqueçam de visitar

A B S O R T O
Caderno de Poesia
O Cheiro da Ilha
Citizen Mary
O Fogareiro - um taxista em Lisboa
Ø G®¡†ö ðö Þöë†ä
Kitanda
Marco Negro
Memórias do Cárcere
PALAVRAS AO VENTO ²
Tempo das Cerejas
Verde Água
Vieira Calado
Whispers in night
Convívio das Quadras (10) e Paulo Sempre
.

Agradeço também a todos os outros visitantes e desculpem-me se não referi alguém que devesse ser referido. Para todos um abraço


Victor Nogueira


E não se esqueçam do Convívio de Outono, aberto a toda a blogosfera

Convívio das Quadras (11) - Dispersos



Belisa disse ...


.
.
Voltei...voltei..
Não, não é nenhuma canção
Lembrei-me disto e...
não vou dizer-te que não...
.
Fico encantada a ler
estes textos que escreves
São recordações a reler
espero que não sejam...breves
.
.

.
.

Belisa disse ...
Sobre o poeta Bocage
pouco ou nada sei
Fiquei mais elucidada
e agora investigarei...
.
.
.
.


Rosa dos Ventos disse...
.
.
Já não sei o que fazer
Já não sei por onde andar
Só sei apenas dizer
Que gosto de "Ao Sabor do Olhar".
.
.

Rosa dos Ventos disse...
.
.
Pensava eu estar terminada
A época de quadras mandar
Afinal estava enganada
Isto é sempre a aviar!
.
.

.
Dulce(ineia) do mote
Que de carmim se vestia
Inspirou o rapazote
Num passeio de alegria!...
.
.

.
.
.
.

Cada vida um alfabeto
a sonhar felicidade
mas é o sonho inquieto
se o caminho é liberdade!...
.
.

Convívio das Quadras (10)


.
Ao sabor do olhar
vislumbram-se quotidianos
planicieis triste a bradar
amargos passares dos anos.
.
Do silêncio faço um grito
que mergulha em ecos sem fim
por momentos sei que nao minto
em lamaçais de anologias de mim
.
Que sou eu neste mundo? o mal fadado,
O que quer tocar já o caixão,
O dessassossego,o Céu, a maldição,
E que, no seu abraço, só encontro fado!
.

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Convívio das Quadras (9)


Jovem & esperançoso Victor

Ai de mim, poeta não sou. Mas, perante uma tal solicitação, vinda de quem vem, não podia ficar-me nas covas. Assim, mais trambolho que zarolho, aqui ficam as três quadras quadradas. Um abração

Henrique


Amor é um nervo cru
Plantado entre cabelos
No fundo, tem dois novelos
E a raiz sai do tutu

Não uses saia apertada
Nem uma mini sem bainha
Pra não estares atrapalhada
Como em lata de sardinha

Não te armes em safado
Muito menos em calão
Tu não serás perdoado
E se tens medo, compra um cão