Viva a Vida !

Este blog destina-se aos meus amigos e conhecidos assim como aos visitantes que nele queiram colaborar..... «Olá, Diga Bom Dia com Alegria, Boa Tarde, sem Alarde, Boa Noite, sem Açoite ! E Viva a Vida, com Humor / Amor, Alegria e Fantasia» ! Ah ! E não esquecer alguns trocos para os gastos (Victor Nogueira) ..... «Nada do que é humano me é estranho» (Terêncio)....«Aprender, Aprender Sempre !» (Lenine)

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Graça Maria Teixeira Pinto.- Quando...

Quando...
Quando eu partir...
Deixem-me ir assim descalça .
Mãos abertas ao lamento dos pinhais.
Onde os búzios têm a insólita cor
Dos prados de giestas.
E o silvo das aves percorre a pradaria
Como o chamamento das mães
Que pela tarde procuram os filhos.
O sítio onde o rosmaninho oculta a gruta.
Onde uma nascente de água sulfurosa
Sacia a sede aos seres imaginados.
No recuado tempo da infância.
E ao entardecer o balançar das flores
Terá para mim o mesmo efeito
De um gesto de ternura.
Ou de uma ansiada carta de amor.
No caminho onde as sombras.
Afastam os temores.
Porque iluminadas.
Graça Maria Teixeira Pinto.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Teresa de Sousa em "Mentiras e ... mentiras"

* Victor Nogueira

Lendo os capítulos que a seguir TS desenvolve – desancar no PSD - o início da prosa surge a martelo, com as referências a Cunhal e ao Comunismo, Esta sociedade - capitalista - resulta das Revoluções Burguesas, como a Francesa, que também prometia “amanhãs que cantam”, baseados de facto na miséria e repressão dos camponeses e das classes trabalhadoras e semeados de guerras mundiais e regionais e de saque das países colonizados e de genocídios (África, Américas, Austrália ...). Sobre isto assenta a “prosperidade” dos donos dos meios de produção. As “utopias” das Revoluções saldaram-se em fracasso, isto é, na miséria em que estamos. TS crê na TINA do capitalismo e outros na servidão e no esclavagismo ? Mas outros crêem que “sempre que um homem sonha o mundo pula e avança.” Apenas para o abismo [e o apocalipse] ?
O Diabo não chegou em Setembro, é verdade, mas estamos ainda muito longe do paraíso. O Diabo pode voltar.
PUBLICO.PT|DE TERESA DE SOUSA

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

um poema de Filipe Chinita

* Filipe Chinita

ou
do álvaro.e dos soares.
ou das questões do bom gosto.físico e mental
.
não
não é uma questão de humanidade.
é uma questão de bom gosto
.
tendo o álvaro.como modelo
e tantos re.conhecidos
e incógnitos
heróis
vivos e mortos
- que lutando em colectivo.
deram a vida.e o sangue por nós -
como poderíamos (nós) amar
um ser com tais
bochechas.
corpo.
e
burguesas.gorduras.mentais.
que o terão levado
de nós...

- para mais!
tendo conhecido homens
como aqueles que lhe deram
o privilégio de ser seu amigo.
a começar
por bento de jesus caraça
e o próprio
álvaro! -

não!
- ao contrário de seu pai.
que tinha um belo facies.republicano
e que nesses ideais o educou -
nunca.nada pude amar em si.
queira desculpar-me...
sequer.o soar da voz.
nem.os gestos.
nem.o mover.do corpo.
- demasiado anafado.para
o meu (bom) gosto.
proletário! -

mas tudo isto
é por ora apenas uma questão de estética.mínima.
.
que nunca! o argumentário.
muito menos! uma politica
de alianças em que
(lhe) valeu
tudo.
sempre à direita!
da cia.ao elp.
do cds.ao ppd/psd
de spínola! à santa igreja!
da cap.às mocas de rio maior.
e até! sempre que necessário
à 'extrema'.esquerda.
então.sempre pronta
a estar contra nós.
também ela... até
ao fedorento
mrpp
do grande educador
do barroso!
.
só connosco... não!
os mais intrépidos combatentes pela liberdade!
e desde sempre! desde 1921
em que nos tornámos
gente!
.
tudo!
para não cumprir a constituição.
também! por vós.mesmos
ainda há dias escrita.
votada! e assinada
.
tudo!
para conter e matar abril
em nome de um novembro
ao contrário.da história.
e da própria.revolução
em curso.
.
tudo!
em nome de um 'socialismo'
para sempre colocado na gaveta.da história.
'um socialismo' para sempre! inexistente.
um socialismo que nem 'democrático' foi
pois que à fueirada a ferro e fogo
e até em morte(s)!
se exprimiu
.
tudo!
e sempre que 'necessária'
a violência.de um estado
de classe.que
não de
abril
.
daí
emergem
os nossos mortos.então assassinados.
- que sempre nossos são os mortos! -
e acima de todos eles! no meu coração.
(os meus) casquinha.e caravela.
todo um 'destino'
de nomes
.
e pasme-se!
- com o seu homem de mão.o ainda mais execrável barreto! -
até! a reforma agrária à vergastada e morte destruiu.
para de novo entregar as terras aos latifundiários.
os latifundiários.alentejanos e ribatejanos
só!.sempre.e apenas o mais estúpido
boçal.e reaccionário braço
do fascismo.em
toda a sua
vida
.
sim
voltou-lhes a dar tudo!
tirando-o aos que
nada tinham...
senão a sua
'analfabeta'
mas culta! identidade.cultura.e força de trabalho.
'bendito' seja para sempre o bento.
de jesus caraça! e a sua
'cultura integral do indivíduo'.
que nem essa!
o fez ficar do
nosso...
lado
.
e nós!
pobres.proletários.agrícolas
de tudo despojados!
é que ainda! lhe
metíamos
medo!
a caminho dos algarves
para as (suas) férias
sobre a tartaruga
de areia
na sua casa
da praia
do vau
.
mar
que inúmeros morreram
sem nunca haver visto...
e ainda de democracia
se chama... quando
nem o básico
.
não
caro dr. soares
nunca o pude.nem poderei amar.
até porque nunca me encontrei
consigo.em nenhuma luta
contra o fascismo.
até porque
então o senhor já estava.
num hotel.em paris.
e eu fui trabalhar para uma fábrica
- ainda que de bijoux -
e mesmo assim!
nem por lá nos
vimos. o
vi.
sequer
no café de flore...
.
mas
não o amando a si
muito menos ao seu filho joão.o homem de savimbi!
estranho gosto.ínvias voltas.do cérebro.pensante.
que tudo valia! vale! desde que contra o mpla!
que até o senhor tinha reconhecido
.
não.
não é uma questão de ódio.pessoal.ou de classe
- que eu não odeio ninguém.apenas não gosto.. -
é (apenas) uma questão.de (bom) gosto.
- nunca gostei de gente balofa
muito menos de cara -
de gente sem
cara.
que hoje diz uma coisa
e amanhã
outra
.
uma questão... de sentido
e de pura higiene
mental das
ideias.
de manutenção ou não
dos ideais.custe
o que custe
.
não.
não lhe gosto da vozinha.
que sempre soa suave.
fale do que
fale...
e muito menos
dos olhinhos.e dos gestinhos
que a acompanha(m).
muito menos na televisão...
que nos deixa
aperceber...
tudo
.
é
uma questão de pele.
é
uma questão de
inteligência
sensível.
de rigor
e
rectidão
.
mas
cada um
é como
é.
e quanto a isso
nada há a
fazer
.
porventura ele também
não gostará de mim.
que sou ninguém
.
que também eu
já me encontro gordo.balofo.e anafado.
pronto para a morte. retalhado.
pela cruel.aspereza
de uma vida.que
não dominas
por mais que
julgues que
sim

de resto
sei que o urbano lhe era amigo.
e sempre lhe reconheceu o bem que lhe fez
.
sei que ele no seu coração continuava
continuou a vê-lo.até ao fim!
como um herói
im.possível.
que (ainda) levantaria!
revoluções democráticas pela toda a europa
contra o capitalismo selvagem.em que ora vivemos
em vez de no seu 'democrático
socialismo'.
.
e que sempre continuou doce.urbano!
- mas que ainda assim!
também ele tinha
conseguia ter
os seus figadais
inimigos...
como não eu...
pauvre
con... -
.
o urbano
esse - ao contrário do senhor.seu amigo -
sempre continuou a acreditar na união.
de todas as esquerdas.do coração!
em que o senhor - segundo ele -
sempre teria parte.
bem como o alegre.que também
tanto estimava.e bem
se tratavam.
bastava
ver
.
quem!?
o urbano não estimava
coração de ouro
comunista.
qual azeite.de candeia
de moura.em
lisboa
.
agora
que já morto está.e os mesmos de sempre.se rojam a seus pés!
quero-lhe (pois) também eu! todo o bem do mundo
.
o senhor tem o mérito
de haver triunfado sobre nós.
mesmo que com o nosso voto!
que até essa grandeza maior tivemos!
que nunca o senhor dito...
'pai da democracia'
(nos) faria o
mesmo
.
obrigado
ainda assim...
pelos combates que travou
ao nosso lado.comunistas
que sempre continuámos
e continuaremos
sendo
.
obrigado
por ter percebido a necessidade da descolonização
ao dizer que não podia haver 'uma política nova'
sem o seu termo
- que neste caso sempre eu o defendi
quando (ainda) arautos do fascismo e da colonização
(vivendo em democracia! e usufruindo
de todas as suas benesses)
o chamavam de traidor à pátria!
querendo chamá-lo
também a
mim!
.
reminiscências decerto da (sua) leitura
do 'rumo à vitória'.do álvaro
e dos cruciais pontos
da nossa 'revolução
democrática e
nacional'
.
obrigado
por não tendo continuado ateu
ao menos até ao fim... se dizer
agnóstico
.
obrigado
por sempre ter combatido
pelas 'não causas'
que fez
suas.
isto é
a manutenção da ordem capitalista
desde que de suave
roubo.à nabeiro.
de bem
com traficâncias
e banqueiros
.
eis
o que (de concreto) nos deixou:
o capitalismo selvagem
global e planetário
sem muros! mas
com todos
eles.
os do capital
.
aliás.
cá para mim.e para o urbano
o senhor deveria sentir-se triste
com tudo isto
neste seu
fim
de vida
.
ao fim e ao cabo malbaratou
e deixou cair por terra
todos os seus ideais
de juventude.
o tempo
em que somos mais 'rijos'
como diria o outro...
de uns abraços
.
caro dr. soares
onde pa(i)ra a sociedade sem classes.
que - mesmo no dito debate -
disse querer
.
sabe...
não se pode ao mesmo tempo
estar de bem com deus e com o diabo. diz o povo!
e foi isso que o senhor - desde que deixou de ser comunista -
toda a sua vida fez. sorria ao urbano
mas também ao pinto balsemão.ao freitas do amaral
e a todo capital... a começar pelo financeiro
todos envolvendo num
mesmo mortal
abraço
.
e
por fim até o salazar
nem já bem fascista... teria sido
porque o marcelo sê-lo-ia muito mais...
mas isso enfim desculpa-se pela idade
.
o seu argumentário... desculpe dizer-lho
foi sempre de contínua negação
de qualquer pensamento
marxista
- mesmo que de vulgata -

que
na mesma frase
o senhor metia
os pés pelas
mãos
e
as mãos
pelos
pés
.

na idêntica
desfaçatez
de balofa
cara.
de sempre
estar sempre dizendo
as maiores verdades
deste mundo e
do outro...
mesmo que
os maiores atropelos
à verdade fossem
.
talvez assim.
também
por lá
o escutem
.
e repare...
que eu sou o mais terno dos homens
.
o que mais não poderia dizer!?
.
o pedro ramos de almeida
já um dia.remoto
lhe escreveu um
dicionário
de tudo...
pelas suas próprias
palavras
dito.
contradizendo-se
quasi.ao momento.
um texto que
todos os portugueses
deveriam ter
lido.
mas nunca
é tarde.
editou-o a 'caminho'
.
e aqui chegado
me calo .
enfim!
.
louvo-lhe.o amor.de uma vida
à sua (parece que) única
mulher.que dizia
poemas de
revolução
'cristã'
sendo
.
obrigado!
por nunca ter existido
na minha
vida
.
fj

2017.01.09