Viva a Vida !

Este blog destina-se aos meus amigos e conhecidos assim como aos visitantes que nele queiram colaborar..... «Olá, Diga Bom Dia com Alegria, Boa Tarde, sem Alarde, Boa Noite, sem Açoite ! E Viva a Vida, com Humor / Amor, Alegria e Fantasia» ! Ah ! E não esquecer alguns trocos para os gastos (Victor Nogueira) ..... «Nada do que é humano me é estranho» (Terêncio)....«Aprender, Aprender Sempre !» (Lenine)

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

«Convívio das Quadras»


Este é um blog aberto à colaboração de pessoas minhas amigas, conhecidas ou simples visitantes.

Sendo assim e se quiserem podem enviar de 1 a 3 quadras, neste caso independentes ou interligadas. Isto não é um concurso, não há prémios nem classificações. Mas há regras: a(s) quadra(s) têm de ser escritas em português ou castelhano, não necessariamente escritas para agora, de autoria do remetente, que se deve identificar, dando um mail válido ou identificação do seu blog ou site, e, embora a temática seja livre, esta não pode ser racista, xenófoba, sexista ou ofensiva.

Se quiserem participar deixem as vossas contribuições no comentário do último post acima referido ou por mail, com a indicação «Convívio das Quadras», até 30 de Setembro do corrente.

Um abraço
Victor Nogueira

11 comentários:

Maria Faia disse...

Caro Amigo,

Respondendo ao teu repto, aqui ficam duas quadras da autoria desta simples desconhecida e amiga cibernauta:

Ser Feliz,
É ver o nascer do sol,
É Sorrir ao luar!
É ouvir um rouxinol,
Voar de mansinho a cantar!

Um poema é suspiro d'alma,
sentir abafado na ternura calma.
É melodia de sonho e desventura,
De viva esperança de quem procura!

Um abraço
Maria Faia

Paulo Sempre disse...

Boa iniciativa.
Dada a adiantada hora, fica apenas o abraço.
Vou voltar
Paulo

De Amor e de Terra disse...

Também cá vim espreitar
e o que posso responder?
que a tarefa de rimar
não é pra todo o que quer...


Como gosto de "cantar"
em quadras e em qualquer lado
venho então procurar
quem perceba "do riscado"!...


Maria Mamede

Belisa disse...

Olá:)

Feliz e de bom grado
Quero também participar
Neste convívio lançado
Pelo "Ao Sabor do Olhar"!

Quero dançar no arraial
Neste convívio de quadras
Vou convosco, não faz mal
Ficaremos bem guardadas!

Com esta festa a chegar
Vou te escrever uma carta
Mas agora tenho de acabar
E escrever na hora certa!

Beijos estrelados

De Amor e de Terra disse...

Repentistas de talento
não os há, morreu o Rei;
eu apenas tenho intento
de rimar só como sei...

quero então agradecer
ao nosso Amigo Nogueira
o que nos "faz" escrever
só por mera brincadeira!...


Maria Mamede




Maria Mamede

Rosa dos Ventos disse...

Já não sei o que fazer
Já não sei por onde andar
Só sei apenas dizer
Que gosto de "Ao Sabor do Olhar".

Abraço

Belisa disse...

Olá :)

Dizes-me que não recebeste
a carta no sobrescrito...
Mas ainda bem que não leste
o que nela ia escrito!

Por este meu esquecimento
fiquei feliz e contente...
Posso assim a qualquer momento
falar contigo pessoalmente!

Quero para ti olhar
e nos teu olhos...falar...
Que contigo eu quero estar
e sempre, sempre te amar!


Beijos estrelados

Belisa disse...

Olá :)

Aqui arranjei um trabalhito...

O trabalho é uma moda
que só a alguns se destina
uns andam sempre na roda
e outros quietos na esquina!

Esta moda é pra dançar
agora e sempre igual
só que alguns só vão cantar
e dançar pro carnaval!

Beijos estrelados

Victor Nogueira disse...

-----Mensagem original-----
De: oguardiao@----.pt [mailto:oguardiao@---.pt]
Enviada: quarta-feira, 19 de Setembro de 2007 23:12
Para: Victor Nogueira
Assunto: Re: O convívio das quadras em Ao Sabor do Olhar

Agradeço o convite, mas a minha veia não vai muito para a poesia, para mal dos meus pecados.
Cumps

Belisa disse...

oLá :)

Quero dizer também que concordo com tudo.

Beijos estrelados

Paulo Sempre disse...

Ao sabor do olhar
vislumbram-se quotidianos
panicieis triste a bradar
amargos passares dos anos.

Do silêncio faço um grito
que mergulha em ecos sem fim
por momentos sei que não minto
em lamaçais de anologias de mim

Que sou eu neste mundo? o mal fadado,
O que quer tocar já o caixão,
O dessassossego,o Céu, a maldição,
E que, no seu abraço, só encontro fado!

Paulo sempre