Viva a Vida !

Este blog destina-se aos meus amigos e conhecidos assim como aos visitantes que nele queiram colaborar..... «Olá, Diga Bom Dia com Alegria, Boa Tarde, sem Alarde, Boa Noite, sem Açoite ! E Viva a Vida, com Humor / Amor, Alegria e Fantasia» ! Ah ! E não esquecer alguns trocos para os gastos (Victor Nogueira) ..... «Nada do que é humano me é estranho» (Terêncio)....«Aprender, Aprender Sempre !» (Lenine)

sábado, 19 de janeiro de 2008

Convívio do Tempo ... (4) - O tempo contra o tempo


O tempo contra o tempo.
O tempo que passa,
para dar lugar a um novo tempo,
com a promessa de um tempo para vir,
sem hipótese de voltar ao tempo que foi.







Neste tempo presente, percebi que não estive inteira naquele tempo que foi, que fomos, poderíamos ter sido.


Hoje, olho para o tempo que já se foi, e só hoje... te vejo, te olho, te acredito.

Mas hoje, já é tarde, já não há tempo. E o tempo não me permite voltar a esse tempo, a esse lugar e começar a traçar um outro tempo.



Resta-me aceitar o tempo de hoje. Contra o qual lutei com um lança aguçada, perdendo total noção de tempo.
Conformo-me que neste tempo já não temos tempo e hesitante, receosa, ainda rogo por um tempo que possa vir.



Vem! Vem! Vem!

Ficar nesta espera, é ficar presa a um cais, numa amarra cheia de nós cegos, demasiado apertados e sufocantes.


Valerá a pena? Valerá esse tempo? Ou será tempo de seguir para um novo tempo?

Tu, o deste tempo, pedes-me: Solta amarras! Larga esse cais! É tempo de ires para outro tempo!


Mas Tu, o deste tempo, não és o que esteve nesse tempo que passou: Não sabes. Não viste. Não acreditas, como eu não acreditei naquele tempo.
Queres que acredite em ti, neste tempo e prometes um novo tempo futuro risonho e livre. E eu, tenho medo de ir para esse novo tempo prometido e tenho medo, de mais uma vez, não estar a acreditar no tempo que agora tenho.

Vou esquecer esse tempo que foi. Está na hora de partir para um tempo que vem.


Mas Tu, o do tempo que passou, ainda tens uma réstia de tempo para puxar essa corda pendente no cais e me vir prender neste tempo.


Vem, vem, vem!


Ou, simplesmente desisto?


Finalmente
desisto?
diz-me, diz-me, diz-me...


neste tempo, agora!


Desisto?

Teresa ML

3 comentários:

Maria Simplesmente disse...

Não.
Maria

poesianopopular disse...

DESISTIR?
Numca jamais em tempo algum!
Menos bem!
Menos mal!
Assim-assim!
Mas...DESISTIR...NUMCA OK!
sAUDAÇÕES
JOSÉ MANANGÃO

De Amor e de Terra disse...

É sempre tempo de mudança; é sempre tempo de deixar o que foi e não deu frutos de alegria e acreditar que amanhã, pode ser tempo de felicidade!

Bj

Maria Mamede